E por falar em Paraíso Perdido…

Esta é uma obra incompreendida…
 
John Milton criou uma visão poética das histórias e lendas que cercam os mitos Bíblicos… Ele fala da Primeira Queda, a queda dos Anjos e da Segunda Queda, a queda do Homem… nada que de alguma forma não seja de conhecimento daqueles que participam da fé cristã…
 
Seu maior pecado foi ser um ótimo escritor, e o fato da natureza humana, sendo da forma que é, assemelhar-se à do Arcanjo Perdido, que acaba sendo um personagem trágico com o qual as pessoas podem se relacionar/identificar mais facilmente do que com figuras próximas à dita Perfeição, como o Senhor, seu Filho e os Anjos, que também são personagens. Mesmo Adão e Eva surgem muito alienígenas aos olhos, por serem homens do tempo em que haveria contato direto com o Criador
 
Sua passagem mais famosa, que tantas vezes citei por aí, que conclui o capítulo em que o Perdido, após a queda, observa seus novos domínios (e de onde tirei a citação do post anterior ao qual este se refere): "Pois é melhor reinar no inferno do que servir no céu", encaro como uma posição política, uma declaração de escolha, de livre-arbítrio. Um símbolo de autodeterminação, mais do que rebeldia…
 
Como sempre, é uma questão de percepção…
Anúncios

Os comentários estão desativados.