Ano Novo(?)

Vinte e quatro horas… Sete dias… Trinta dias… Trezentos e sessenta e cinco dias…



Todos os números acima representam medidas e padrões arbitrários…



Diante disso, qual a diferença entre 23h59min de 31 de dezembro e 0h de 1º de janeiro?



Mesmo a numeração dos anos é arbitrária, cultural. Apenas pouco mais de um terço da humanidade irá comemorar alguma “passagem de ano” esta noite, mesmo que por uma questão de globalização utilize o calendário gregoriano no dia a dia…



Mas o ponto ao qual quero chegar é:




Se todas estas medidas são arbitrárias, porque escolher uma das maiores usadas cotidianamente, o ano, como referência para nossas mudanças de vida? Porque esperar, desejar e planejar que o próximo período de 365 dias seja melhor, que seremos diferentes, que mudaremos coisas em nós?



Porque não usar uma medida menor e estabelecer passos menores, mais viáveis? Porque não esperar/desejar/planejar para o dia seguinte, um passo menor e portanto mais simples de executar e de atingir?


Que tal se sua resolução de fim de ano não seja para o ano inteiro, mas para “amanhã”? E partindo daí, todos os dias traçar as resoluções para o dia seguinte?



Imagino que muito mais de nós atingiriam seus objetivos…







Mas dito isso, desejo a todos um Feliz Ano de Calendário 2007 e.c.







powered by performancing firefox

(RED)

(RED) é uma proposta criada por Bono Vox e Bobby Shriver, através da qual empresas diversas fazem versões especiais de seus produtos, em vermelho, e um percentual do valor pago pelos consumidores, vai para o tratamento da AIDS em mulheres e crianças, na África



Mesmo que você não possa ou deseje adquirir algum dos produtos, por qualquer motivo, inclusive devido à indisponibilidade local, pode colaborar colocando gráficos como os que vê neste, em seu site/blog…



Mais informação em:



(BLOG)RED

(PRODUCT)RED



powered by performancing firefox

Amor antigo…

Na GANP – 15/12/2006

Lanika é um caso de amor antigo…

E que fique claro: no meu entender, todo sentimento que une as pessoas é amor.

Eu a conheci no ocaso do Covil, um certo grupo e fanzine de/sobre quadrinhos, dos tempos do fanzine fotocopiado, antes do e-zine…

É uma pessoa especial, que cativa, tanto pelo físico, como pelo intelecto. Artista de sensibilidade, e indivíduo capaz de sustentar uma conversa animada e dona de opiniões abalizadas, sem os “achismos” tão comuns hoje me dia…

A foto acima foi tirada de improviso no seu aniversário, há alguns dias, mas como só a recebi dois dias depois, aguardei para publicá-la em dia apropriado como hoje, Litha, o Solstício de Verão…

Reitero o que lhe desejei no dia de sua efeméride, Lanika:

Que seus dias sejam muitos e sua colheita sempre farta…


Veja o Site de Lanika

Feliz Litha!!!

Celebrai, povo Pagão!!! Celebrai a paixão da Deusa e do Deus…

Celebrai a fertilidade e a abundância…

Felicidade e Boa Colheita a todos

Comentários desativados em Feliz Litha!!! Enviado em paganismo

In Memoriam…

Foto de 17/12/2006


Phyll esteve comigo desde 1991 e completou 15 anos em maio deste ano…

Neste tempo, foi motivo de muita dor de cabeça, mas também de muitas alegrias, o que é típico de uma “criança com necessidades especiais”, como ela era…

Foi minha companheira em tempos solitárias, e uma presença constante em minha vida…

Geniosa, por vezes mau-humorada e, tomadas as devidas proporções, quase ranzinza. Alguns diriam que era “a minha cara”

Mas me alegrava com suas pequenas trapalhadas, e muita falta me fazia quando distante… Era verdadeiramente também, minha “familiar” (para bom entendedor)…

Os detalhes não são importantes mas hoje, Phyll, que do nada, de improviso, há tantos anos veio, para o mesmo lugar retornou…

Muitas faces tem a Deusa, e tenho certeza que em sua manifestação conhecida por Bast, ela olha pela minha pequena…

Comentários desativados em In Memoriam… Enviado em pessoal

Scary Mary

Produzir Trailers, ou Previews (o termo correto em inglês), de cinema é uma arte tanto quanto fazer o próprio filme. E o modo como o trailer é montado pode passar um impressão totalmente distinta do que é o filme. Em alguns casos o trailer é melhor que o longa que devia vender…

Um bom exemplo, encontrado no YouTube é este abaixo, Scary Mary. É um trailer de Mary Poppins, montado como se fosse um filme de terror.

Note que apenas são usadas cenas existentes no filme, mas contextualizadas de modo um pouco diferente:

Perfil do autor no YouTube.