Crônica Obscura (2)

Periferia da cidade, alta madrugada…

A menina, 13 anos, corre na direção de um grupo de rapazes que voltava do baile (funk).

Me ajudem!!! – grita.

Os rapazes a cercam, perguntando o que houve.

O cara tava querendo me agarrar!!! – a menina responde.

Um dos rapazes olha na direção em que ela veio e vê um homem saindo do mato, abotoando as calças.

Olha lá!!! É o cara!!! Vamo pegar o “f1lh4d4put4”!!! – grita, já correndo.

O grupo corre em direção do homem que, acuado pelo grupo, tenta fugir. Está mancando, o que torna a fuga impossível. Logo o grupo de jovens o alcança e lhe aplica uma surra.

O homem, de meia idade, é trazido, quase arrastado, até perto da menina.

Não foi ele.


O fato é verídico, apenas os diálogos foram por mim criados.

Duas coisas tenho a dizer:

  1. Como as aparências por vezes enganam, e provas circunstanciais podem levar um inocente à prisão, ou a uma surra como no “causo” acima, é o motivo pelo qual sempre defenderei os Direitos Humanos. Eles protegem os inocentes dos erros e injustiças, tão característicos de nós, Humanos.
  2. O que a menina de 13 anos estava fazendo na rua, sozinha, de madrugada?
Anúncios

2 Respostas para “Crônica Obscura (2)

  1. 1 – Sou a favor dos direitos humanos, mas ninguém os carrega debaixo do braço né?2 – Não imagino o que uma guria dessa idade tava fazendo na rua, de madrugada, eu heim!!Beijos!!

  2. Bizarro…As aparências sempre enganam… e os fatos são completamente manipuláveis…Mas concordo… como assim a menina de 13 anos na rua e com essa forma de agir? Não duvidaria de ter sido um aputa má fé!;****************