Crônica Obscura: Tempus Fugit

Os Dois eram como a Noite e o Dia, trilhando caminhos similares de formas diferentes e sem encontrarem-se…

Mas um dia (se é que isso faz sentido pra ele) o Tempo, entediado, resolveu brincar e vendo os Dois, cogitou em usá-los em um experimento…

Reservou um dos seus Lugares Perdidos, e fez com que as trilhas Deles se cruzassem nele. O que este curso de colisão traria?

E os Dois viram-se, e separaram-se, e viveram suas vidas.
Mas o Tempo ainda tinha planos. E passaram-se dias, semanas, meses e anos…

E quis o Tempo que os caminhos dos Dois cruzassem novamente.

E então, em algum lugar do Tempo, as brumas se abriram e os Dois, dessa vez não apenas viram-se, mas encontraram-se…

Sed fugit interea fugit irreparabile tempus
(Geórgeas, de Virgílio)
Anúncios

2 Respostas para “Crônica Obscura: Tempus Fugit

  1. Será que é o destinos? Aquilo que não podemos mudar? Quando não podemos agir pelo livre-arbitrio? Nem sempre sabemos as respostas é o tempo é a vida.Me fez recordar o filme “Feitiço de Aquila”.Bjo