Sombras Perdidas no Tempo

Tenho pensado bastante em minha vida, ultimamente.

Olhando para trás, vejo sombras, refletidas nas paredes dos caminhos de minha existência pregressa. Das sombras que estão dentro de minh’alma, várias já conheço. Trato com elas, com familiaridade, chamo-as de Passageiro.

Outras, tão familiares quanto o Passageiro, me escapam ao controle, não negociam. Teimam elas em me enfrentar, e com o poder que vem do desconhecido, me amedrontam.

Por vezes fico encurralado cercado por estas sombras inoportunas, que me paralizam e me fazem falhar e perder.

Não mais! – digo aos ventos – Não mais me submeterei a elas! Não sou eu um portador de luz? Não sou illuminati? Fiat Lux! Que as sombras, estas sombras perdidas no tempo se ponham em seu lugar!

Hora de descansarem, sombras. Retornem à sua origem. Tenho uma missão a cumprir.

Anúncios

Há 200 anos… [Literatura]

…e um dia, nascia o Mestre Edgar Allan Poe.

Em um blog chamado Opéra Gothique, não pode faltar (e de quando em quando eu o cito) uma justa homenagem ao pai da literatura policial e de horror fantástico…

 

Edgar Allan Poe

Edgar Allan Poe