Sombras Perdidas no Tempo

Tenho pensado bastante em minha vida, ultimamente.

Olhando para trás, vejo sombras, refletidas nas paredes dos caminhos de minha existência pregressa. Das sombras que estão dentro de minh’alma, várias já conheço. Trato com elas, com familiaridade, chamo-as de Passageiro.

Outras, tão familiares quanto o Passageiro, me escapam ao controle, não negociam. Teimam elas em me enfrentar, e com o poder que vem do desconhecido, me amedrontam.

Por vezes fico encurralado cercado por estas sombras inoportunas, que me paralizam e me fazem falhar e perder.

Não mais! – digo aos ventos – Não mais me submeterei a elas! Não sou eu um portador de luz? Não sou illuminati? Fiat Lux! Que as sombras, estas sombras perdidas no tempo se ponham em seu lugar!

Hora de descansarem, sombras. Retornem à sua origem. Tenho uma missão a cumprir.

Crônica Obscura: Tempus Fugit

Os Dois eram como a Noite e o Dia, trilhando caminhos similares de formas diferentes e sem encontrarem-se…

Mas um dia (se é que isso faz sentido pra ele) o Tempo, entediado, resolveu brincar e vendo os Dois, cogitou em usá-los em um experimento…

Reservou um dos seus Lugares Perdidos, e fez com que as trilhas Deles se cruzassem nele. O que este curso de colisão traria?

E os Dois viram-se, e separaram-se, e viveram suas vidas.
Mas o Tempo ainda tinha planos. E passaram-se dias, semanas, meses e anos…

E quis o Tempo que os caminhos dos Dois cruzassem novamente.

E então, em algum lugar do Tempo, as brumas se abriram e os Dois, dessa vez não apenas viram-se, mas encontraram-se…

Sed fugit interea fugit irreparabile tempus
(Geórgeas, de Virgílio)

Changing…

Changes

Black Sabbath

I feel unhappy, I feel so sad
I’ve lost the best friend, that I ever had.
She was my woman, I love her so.
But it’s too late now, I’ve let her go.

I’m going through changes.
I’m going through changes.

We shared the years, we shared each day.
In love together, we found a way.
But soon the world, had it’s evil way.
My heart was blinded, love went astray.

I’m going through changes.
I’m going through changes.

It took so long, to realize.
And I can still hear her last goodbyes.
Now all my days, are filled with tears.
Wish I could go back, and change these years.

I’m going through changes.
I’m going through changes.

(Uma tradução)

Não é exatamente o que parece, embora (sim) eu esteja solteiro… Ou seja:

Continua…

A Eterna Sombra de uma Mente Atormentada

Fala a verdade quem disser que sou uma alma (terei isso?) atormentada…

Uma melancolia perene existe, subjacente a tudo o que faço e sinto… A minha sombra interior, que <ironia>carinhosamente</ironia> chamo de O Passageiro, ao contrário da maioria das pessoas não é quieta ou simplesmente agitada… Ela sussurra, inacreditavelmente alto, inapelavelmente audível, impossível de ignorar

Não é dizer que eu seja infeliz, longe disso, mas meus momentos de felicidade vem acompanhados de um perpétuo “e daí?”

Tenho meus poucos e seletos, pessoas importantes que amo e que sempre me fazem bem… Mas há o resto do mundo que afora intelectualmente, não me diz nada

E ainda assim, me satisfaz fazer parte do Greenpeace, fazer trabalho voluntário, e lutar pelos direitos dos que não os teem…

Entretanto nada disso faz com que, real e efetivamente eu me sinta vivo

De volta a programação normal… ^_^

O Novo Tema [Site]

O tema novo do blog, que inaugura o ano e copia descaradamente o sistema de versionamento do Ubuntu Linux ainda não está 100%, ainda merece alguns ajustes no banner-logo

O mais importante é que a homenageada, minha filha (o olho é dela), adorou o resultado.

Filha“!?!?!

Filha no coração, no sentimento (e ela me chama de papi. Fofo, não?)… É, em verdade, uma jovem ex-aluna (de uma das turmas de sábado que citei no post anterior) que foi também da minha equipe de estagiários, e que me conquistou há tempos… ^^

Diante de sua resposta entusiasmada ao tema, é provável que Opéra Gothique 09.1 “Cris tenha vida longa (LTS, entenderam ubunteiros?^^)…

Obrigado, Cris…

Descontruindo Lee (I)

Estou em meio a uma época de quebra (e reconstrução) de paradigmas, pela segunda vez em minha vida. A primeira foi durante o Retorno de Saturno

Ando (re)descobrindo e (re)definindo “comos”, “quandos” e “porquês” e, consequentemente, me (re)criando.

Feliz ou infelizmente, tudo o que está cristalizado em nós e muito próximo ao nosso núcleo, é virtualmente imutável. Mas podemos aprender a lidar conosco e com o mundo de formas mais inteligentes e interessantes…

Todo esse processo tem suas alegrias, mas não é isento de dor. Entretanto, como da última vez, acredito que o resultado final (final?) seja válido e positivo…


Por muitos motivos, costumo dizer que não sou uma “pessoa” ou um “homem”, e sim uma “ameba”.Para tornar a frase acima clara como carvão, cito texto meu que abre meu perfil no orkut:

Sou…
“Sou um teste de Rorschach…

“Posso ser o que você quiser,
Como você quiser,
Quem você quiser…

“Sou contradição,
Enigma,
Lux et tenebras…

“Decifra-me e te devoro…”
(M. Lee Gonçalves, Março/2008)


E falando em orkut, comparando meu perfil como está agora com o que era há tempos, pode-se ver um retrato evolucionário interessante deste Teste de Rorschach Ambulante que escreve estas linhas…

Mesmo sem ter memória ou conhecimento do que foi, a leitura do perfil que está é interessante. Quem me conhece pode até tentar extrapolar…

Certo dia, em outro blog, me defini como “um monte de contradições que funciona”. Tempos depois, decidi que não funcionava tão bem assim. Hoje em dia, ainda sou contraditório, mas funciono bem melhor

Não recomendo a ninguém entrar desavisadamente na minha mente, para sua própria proteção… Mas podemos fazer uma pequena visita guiada, acompanhando nuances dos meus perfis da web social

E o que vemos? Podemos ver alguém que:

  • Respira Tecnologia da Informação;
  • tem preocupações ambientais (sou membro/colaborador do Greenpeace);
  • está em “toda parte” pela Web 2.0;
  • usa muitas “máscaras”, e mais camadas que uma cebola;
  • tem preocupações místicas/religiosas e mágicas;
  • ama leitura e conhecimento, cinema, música, arte e cultura;
  • adora filosofia e pessoas inteligentes, intelectualmente estimulantes;
  • ama muito, a poucos;
  • tem questões de interação social;
  • não gosta de ser “típico” ou “normal”;
  • gosta de androginia (e me considero um Andrógino Mental/Emocional);
  • estudou design e interiores na EBA-UFRJ;
  • assiste GNT e curte (algumas poucas) produções da Globo;
  • é simpatizante da comunidade GLBT;
  • gosta da filosofia oriental;
  • conhece armas de lâmina;
  • curte quadrinhos, mangá e anime;
  • tem atração por mulheres maduras e inteligentes (Mônica Waldvogel!!!);
  • gosta de gatos (e “gatas”, concedo) e cachorros (mas não das “cachorras”);
  • é canceriano;
  • adora seriados estrangeiros, especialmente cult;
  • tem um espírito gótico;
  • prefere permanecer uma incógnita